quinta-feira, 10 de setembro de 2009

MEA COLPA...MEA MAXIMA COLPA


Olha....eu acompanho esse negócio de Formula 1 há várias décadas. Já vi alguns absurdos acontecendo, ouvi dizer a respeito de outros, suspeitei de alguns....mas esta situação do que já vem sendo chamado "Renaultgate" é por demais absurda.Acho que Bernie Ecclestone, do alto de sua omnipresença, querendo criar algum fato novo, chamou o velho escritor colombiano Gabriel Garcia Marques, um dos mestres do "realismo fantástico" e encomendou-lhe um roteiro. Só pode ser! Aliás, fazendo um parênteses, quem captou bem o espírito surreal da situação foi o amigo blogueiro, Ron Groo, em seu excelente blog http://blogdogroo.blogspot.com/. Vale a pena dar uma olhadinha.
Continuando: foi divulgada hoje a íntegra da carta entregue por Nelsinho Piquet á FIA (está no site Tazio: http://tazio.uol.com.br/f-1/textos/13420/) . Agora não há mais dúvidas. O que surgiu como uma leve e impronunciável suspeita ( por sua torpeza), agora nos é jogado na cara, de forma brutal: como eu já escrevi antes, acabou a era da inocência!
Ninguèm jamais acreditou em contos de fadas no mundo da Formula 1. Haviam os "durões" e os "duros na queda". Havia jogo pesado, de interesses, de grana, de vaidades, de egos. Movidos á milhões de dólares, de euros, de iens e outras moedas mais. Havia o "Dick Vigarista" Schumacher, disposto a qualquer coisa para vencer, como jogar adversários para fora da pista, andar abaixo do peso mínimo, ou mesmo aceitar de mão beijada a vitória que seria por direito de seu companheiro de equipe "bonzinho" - Áustria 2002. Isso manchou definitivamente sua imagem entre os fãs da Formula 1 e os fãs de competições sadias. Houve o papelão duplo, protagonizdo por Senna e Prost nas decisões dos títulos de 1989 e 1990, onde ambos se tocaram de propósito, com resultados diferentes. Houve atitudes anti esportivas, na década de 80, devidamente punidas pela FIA. Mas pedir para um profissional bater contra um muro, colocando em risco sua integridade física, é novo. Muito mal para todos os envolvidos. Voltaremos ao assunto.

4 comentários:

Rui Amaral Lemos Jr disse...

Grande parte do acontecido , se deve a não punição severa do Dick quando de suas estripulias , do Prost qd jogou deliberadamente e covardemente seu carro contra o Senna e outras coisitas más . Briattore achava que podia tudo , nesse filme não tem mocinho , muito feia a atitude dos Piquet , deviam ter contado tudo na hora , ou não batido .

Antonio Manoel disse...

Cezar

Olha, na verdade tem muito mais escondido por aí, debaixo dos panos.
Nós fãs e entendidos do meio é que achamos que o pessoal da F1 tem escrupulos, tem muita coisa por baixo disso tudo.
E qure saber :::: A RENAULT SAI NO FINAL DO ANO, BRIATORE VAI SER BANIDO E PIQUET PIMPOLHO TÁ TORRADINHO PRA F1

Abraço
Antonio Manoel

Ron Groo disse...

Obrigado pelos elogios.

A era da inocência se foi é verdade.

Eu costumo pensar nos epsódios Senna/Prost como meramente esportivos, sujos, mas decidos entre eles sem interferencia de ninguém - além do Balestre -

Não sei por que ainda fico indgnado com certas coisas deste esporte. Te juro.
Ja devia ter acostumado.

Cezar Fittipaldi disse...

Concordo com os três....e para dizer a verdade, eu acho que sou é ingênuo mesmo, porque ainda estou meio chocado com tudo isso. Tudo indicava para esse desfecho, o silêncio de Piquet pai, os boatos. Parece aquele caso do chantagista que foi chamado a mostrar suas cartas e jogou m....no ventilador.