domingo, 20 de março de 2016

GP DA AUSTRALIA 2016

Um baita susto sofrido pelo espanhol bi campeão Fernando Alonso. A imagem fala por si só. Uma corrida mais interessante do que se supunha a princípio, após o fiasco do novo sistema de classificação. A Ferrari forte, a Mercedes com uma dobradinha mais suada que o normal, uma excelente estréia da simpática Haas, um Verstapinho nervoso e cometendo alguns erros desnecessários, Massa superando um aparentemente desmotivado Bottas, a Manor um ou dois passinhos à frente em relação as últimas temporadas. Rosberg parece disposto a encarar Hamilton de frente, em condições de corrida sua estratégia foi mais acertada. Hamilton fez uma prova confusa, marcada pela péssima e comprometedora largada. O ano só começou e já me despertou mais interesse que toda a temporada passada. Tomara que continue assim!






quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

2016: ANO NOVO, EQUIPE NOVA!

Parece que os norte americanos da novíssima equipe Hass que estreará na Formula 1 esta temporada estão mesmo levando as  coisas a sério. Impressionante o investimento e a estrutura da equipe Vale a pena dar uma olhadinha no vídeo da CNN.

quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

SÓ PARA QUEM GOSTA MESMO.

Não sou saudosista, mas tem horas que é difícil resistir. Já com alguns sintomas de abstinência de corridas de verdade, vamos voltar nosso reloginho lá atrás e ver um pouco de habilidade sem artefatos, ou disfarces. E também quero homenagear o grande Colin Chapman, que morreu há exatos 33 anos. (Apesar de alguns dizerem que ele se retirou para uma fazenda no Estado do Mato Grosso, devido a problemas que teria tido com a fábrica do De Lorean - aquela bagaça horrível  do filme " De volta para o futuro0>

sábado, 12 de dezembro de 2015

12 DE DEZEMBRO DE 1946. NASCIA UM CAMPEÃO. HOMENAGEM AO EMERSON

Não são necessárias palavras. Elas, às vezes, atrapalham. Bastam as imagens. Parabéns.



primeiras aceleradas, moto 50cc Interlagos (onde mais?)
Formula 2 Lotus 69 motor Ford Holbay

Formula 3 Lotus 59




kart mini (tanque) provavelmente nas ruas de Piracicaba, por volta de 1965.

A primeira foto que eu vi e tomei ciência que havia uns "irmãos Fittipaldi" corredores, mostrada por meu avô paterno Raphael Fittipaldi, nas páginas da Folha da manhã, por volta de 1967.

Com o lendário Luiz Antonio Greco, equipe Willys.

GP da Alemanha, 1970, segundo GP com o  velho Lotus 49 Cosworth, excelente quarto lugar.
Com a Lotus F2, provavelmente em Interlagos para o torneio em 1970.

sábado, 1 de agosto de 2015

PALAVRAS, POLÊMICAS, OPINIÕES E RADICALISMOS

 

   Tenho falado e escrito com alguma frequência sobre a enorme quantidade de asneiras que lemos nos campos de comentários de artigos na internet e nas redes sociais. Pessoas que nada têm a acrescentar sobre temas tão diversificados  quanto o uso e/ou legalização das drogas, futebol, pena de morte, economia, política, religião e etc, se acham no direito de opinar mesmo nada podendo acrescentar de útil. Alguns até admitem nada saberem sobre o assunto em pauta, mas mesmo assim, opinam. Bom, acho que democracia deve ter algo a ver com o conceito de "casa da mãe Joana".                 Quando, no entanto, alguém com estatura moral e biográfica opina sobre algo que conhece ou viveu, e é famoso, isso desperta reações engraçadas. Estou falando, claro, da recente entrevista do Nelson Piquet, onde ele afirma que o falecido Ayrton Senna era um piloto "sujo". Piquet descontraído, estimulado, com um microfone por perto é isso mesmo. O problema nem está em suas declarações, suas opiniões são bem conhecidas e nada de novo foi dito. O problema a meu ver é a reação das pessoas que não entendem o contexto de tudo isso. Das disputas épicas entre os dois pilotos brasileiros, as rivalidades, os problemas de Piquet com a imprensa (principalmente a paulista, na época da Formula 3 - que favorecia Chico Serra em detrimento do então futuro tricampeão).
Eu acompanhei e vivi de perto aquela época. Não sou e nunca fui o maior fã de Senna piloto, mas reconheço seu valor, obviamente. Sempre fui fã do Nelson Piquet piloto, menos do Piquet homem. Ele nunca primou pela simpatia e nos meus contatos pessoais com ambos, sempre fui mais bem tratado pelo Ayrton, até por uma questão de idade. Falar sobre alguém que já morreu pode sim, afinal de contas a morte é apenas uma etapa e quando falamos de alguém que foi figura pública, dentro do contexto da atuação profissional, é válido a meu ver. O problema é que Piquet tem um baita telhado de vidro após o escândalo que acabou com a carreira de seu filho Nelsinho na Formula 1. Falar em sujeira, em bater de propósito, me parece irônico nesse caso. De qualquer forma, respeitemos a opinião do Nelson, mesmo sem concordarmos com ela, assim como respeitemos a memória do grande campeão que foi Ayrton. E eu nunca gostei da forma como ele tirou Martin Brundle daquele campeonato de Formula 3 ( eu estava lá) e tampouco de outras polêmicas com regulamento. Mas o Piquet também aprontou das suas para burlar regras, enfim.....o assunto não se esgota.
         Outro absurdo, a meu ver, a punição do piloto Cacá Bueno após comentários que ele fez via rádio com membros de sua equipe sobre a atuação de uma fiscal de pista. Cacá estava certo e a punição é um absurdo. Ele é um grande piloto e tem personalidade, e o fato de ser filho do mala do Galvão Bueno não deveria omitir isso. Os nossos cartolas e políticos pertencem a lata de lixo que a história lhes reserva.

segunda-feira, 22 de junho de 2015

O ESTRANHO ACIDENTE QUE ELIMINOU DOIS CAMPEÕES MUNDIAIS NA ÁUSTRIA

Não sou profeto e nem vidente, mas acho que estava certo ontem, quando escrevi que apenas uma quebra da suspensão traseira da Ferrari de Kimi Raikkonen poderia explicar a súbita "rabeada" do bólido vermelho, levando de roldão ( gostei da expressão = "de roldão"), o inocente Fernando Alonso. Que aliás, deve estar pagando aquela duplicata que ele cobrou em Singapura em 2008!

DE ZELTWEG ( RECORDAR É VIVER)

domingo, 21 de junho de 2015

A VALSA QUE DESAFINOU

 
Dois campeões mundiais fora na primeira volta. Decadência?

 Volto a repetir ( por mais plenonástico que soe): não sou saudosista e tento incluir em minhas róseas memórias do passado as coisas ruins, os maus odores, as inseguranças, espinhas, apreensões, para poder dimensionar corretamente o que já vivi e o que já foi vivido por mim.
No entanto, ao assistir a uma corrida tão sonolenta quanto previsível quanto o GP da Austria de 2015 disputado há pouco, assaltam minha mente algumas considerações:
   1- Se buscaram o aperfeiçoamento técnico, a quase perfeição, alcançaram. Sim, pois nos anos 60,70, 80 e noventa os carros quebravam demais, roubando vitórias certas dos que mais as mereciam, as suspensões falhavam, as pistas eram perigosas e matavam sem dó nem piedade;
   2- Nossa memória faz com que olhemos para trás em termos mais do que laudatórios, e alguns pilotos que elevamos à quase categoria de "gênios retrospectivos" não passavam de pilotos comuns que eram rápidos, mas falhavam muito. Uma foto que circulou entre ontem e hoje, com alguns pilotos do passado em redes sociais tinha Nelson Piquet (craque, sem dúvida), Alain Prost (craque, exceto sob chuva), Niki Lauda (grande campeão, mas com algumas atuações pífias, no início e finalzinho de carreira, além do ocaso da Brabham, antes do primeiro abandono) e só. Pierluigi Martini é um cara legal, divertido como todo italiano, e tinha seus dias de velocidade a la Maldonado. E só. Christian Danner, grandão e bonachão, galã e sempre bancado pela BMW, era bom piloto. Só. Jean Alesi, fogo de palha, começou como um meteoro, subiu, cruzou os ceús e foi caindo em lenta e deprimente queda até o final de sua carreira. Enfim, grandes caras, mas.....tirando os três campeões, pilotos que dificilmente teriam lugar nos grids atuais, sem levar um caminhão de euros.
   3- Com o enorme avanço das tecnologias embarcadas, uma fabricante muito bem estruturada tem vantagem e com os simuladores e etc, dificilmente será batida num futuro próximo. E não adianta o xoxorô dos caras das latinhas, pois eles também ganharam devido aos desequilíbrios, que aliás, caracterizam a Formula 1 desde sempre. Abrir asas, artifícios extra competição diversos não conseguem equilibrar, e se os dois pilotos da Mercedes não cometerem asneiras, ninguém mais verá a cor da bandeira de chegada em primeiro. Triste mas real.
   4- Bernie tá lelé....dá até um enredo de escola de samba. Uma hora ele dá declarações estapafúrdias sobre um assunto, cinco minutos depois se contradiz. Enquanto a gestão dos principais esportes mundiais estiver nas mãos de cartolas, teremos o risco de repetir os escândalos da FIFA. Basta ter um regulamento claro, pensar no público que ama e segue o esporte e teremos sucesso. A Formula 3 européia é um retrato da precocidade dos pilotos e da falta de juízo de quem organiza. Cada dia mais jovens e bancados por sólidos patrocinadores e programas de talentos, assim como acontece no futebol, estes "mini astros" são arrogantes e prepotentes, e se acham imortais. Não são.
Quanto à prova de hoje, parabéns ao Massa por não se deixar ultrapassar pelo Vettel (ual.....medalhas e comendas), e quase nada a acrescentar. O Acidente entre Kimi e Alonso me pareceu fruto de algo que se rompeu na suspensão traseira da Ferrari, ou um bloqueio de diferencial, causado por falha eletrônica. De mais......até logo!

sexta-feira, 5 de junho de 2015

INÉPTAS MANOBRAS MOVIDAS A MUITO DINHEIRO (OBSCURO): MALDONATOR

Se o Pastor Maldonado pilotasse nas décadas de 60 ou 70, não teria sobrevivido por muito tempo. O farto dinheiro da estatal venezuelana de petróleo PDVSA  vem alimentando uma das mais bizarras carreiras de piloto de Formula 1 da história. Um piloto que demorou quatro anos na categoria de acesso, a GP2, até finalmente sagrar-se campeão. Que só chegou a Formula 1 pelos petrodólares. Que até ganhou um Grande Premio, graças a um bom carro e a um dia de muita inspiração. Mas que é um louco inconsequente na maior parte do tempo. No youtube achei este documentário do Boris Sljivic.

terça-feira, 2 de junho de 2015

OPINIÃO EM VÍDEO: TESTE!

Projeto antigo, fazer editoriais gravados em vídeo, esta é a primeira experiência e a tendência é melhorar. Veremos!