sexta-feira, 18 de setembro de 2009

DUAS NOTAS CURTAS, SOBRE A SABEDORIA DOS DITOS POPULARES



Desde pequeno ouço: em boca fechada não entra mosca!! Como tem gente que perde oportunidades de ouro de ficar quietinho, refletir, esperar a poeira baixar. Nosso ilustre presidente é um, com o agravante de sempre negar o que falou antes, não importa que tenha sido gravado, televisionado, testemunhado. E ambíguo como sempre, atribui os próprios erros a imprensa. Mas não quero falar dele, o assunto me irrita. Quero falar especificamente de Formula 1. Na esteira do assunto "Renaultgate", muitas pessoas foram ouvidas, deram declarações, algumas com propriedade, outras, escondidinhas em seus cantinhos, percebendo a oportunidade de colocar a carinha para fora e serem lembrados, falam as besteiras de sempre. É o caso do boquirroto Eddie Irvine, medíocre piloto, e medíocre ser humano que passou pela Formula 1 nos anos 90 e início dos anos 00. Hoje aparece nos sites declarações atribuídas a ele, segundo as quais "toda malandragem é válida" e sempre foi assim na Formula 1. Faça-me o favor! Volte para sua vila em Ibiza ou outro lugar qualquer, ensolarado e tranquilo, pois suas declarações nada acrescentam. Quem de relevância tinha que falar (Stewart, Lauda, Ecclestone, Piquet pai, etc) já falou, ou se calou (Emerson, e outros). Aliás hoje, fiquei sabendo de uma notícia que de certa forma atenua a participação de Nelson Piquet no episódio: ele revelou a maracutaia do GP de Cingapura a Charlie Whitting no GP do Brasil do ano passado, e este lhe disse que precisaria de uma declaração do próprio Nelsinho para poder iniciar as investigações. Portanto, dividido entre ser pai e o grande piloto que foi, Piquet agiu certo. Menos mal.
Outra pérola de sabedoria popular: Tirar o bode da sala. Você cria um fato, normalmente ruim ou lesivo á alguém, depois não leva a idéia adiante e posa de bonzinho por não ter feito o que não deveria fazer em primeiro lugar. O governo brasileiro está se especializando nisso: ameaça taxar a poupança (as contas com mais de 50 mil reais), rasgando todas as promessas e convenções, jogando a confiança no lixo e imitando o governo Collor, que covarde, surrupiou as economias de milhões de vidas inteiras, e depois recua. Não é a primeira vez que este governo atrapalhado faz isso. O caso das compras dos caças franceses, típico da precipitação do Presidente, que anunciou algo ainda a ser definido, e que a rigor, não é de sua competência, tratando assuntos de Estado com a leviandade característica de seu mandato. Enfim. Prometo falar de Formula 1, ou de música, ou de literatura, ou aviões, no próximo post. Desculpem pelos desabafos.

5 comentários:

Ron Groo disse...

Tá desculpado, até por que o que disse é muito pertinente.

Fabiano disse...

Outro ditado Emersão: Quem fala o que quer ouve o que não quer.

1) A concorrencia para a compra desses jatos começou no governo FHC, como vc diz que foi precipitado a anúncio?

2) 50 mil na poupança é muita grana, quem tem tudo isso tem a obrigação de recolher imposto, não sobre o total, mas sobre o lucro dos juros! Não tem nada a ver com o que o Collor fez.

Fabiano disse...

Caro cezar, peço que apague o posta anterior, escrito apresadamente, apague este tb.

Obrigado.

Fabiano disse...

Outro ditado: Quem fala o que quer ouve o que não quer.

1) A concorrência para a compra desses jatos começou no governo FHC, como vc diz que foi precipitado o anúncio?

2) 50 mil na poupança é muita grana, quem tem tudo isso tem a obrigação de recolher imposto, não sobre o total, mas sobre o rendimento mensal dos juros! Não tem nada a ver com o que o Collor fez.

Cezar Fittipaldi disse...

Deixa ai Fabiano,

Aqui é um espaço democrático e você tem o direito de dar a sua opinião. Mas me dou o direito de manter a minha, e jamais vi governo tão corrupto quanto o atual, infelizmente. O papo furado do pré sal apenas para eleger a detestável Dilma é quase um crime. E tem mais. Quanto aos juros da poupança, estão infringindo a lei. E se o cidadão juntou dinheiro honesto, 50 mil ou mais podem ser o resultado de uma vida de trabalho, não é tanta grana assim. Já pagamos impostos sobre tudo, exceto as igrejas, e as ONGs (tipo MST) muito bem apadrinhadas pelo PT.
Mas valeu, espaço democrático.
abraço