terça-feira, 7 de abril de 2009

SUCO DE JABUTICABA



A coisa funciona assim: sou lá do interior e naquelas bandas a gente escuta e obedece as pessoas mais velhas. Muitos conceitos são passados de geração em geração de forma oral, e por mais que duvidemos deles, vai chegar uma determinada hora em que, querendo ou não, temos que dar o braço a torcer. "Não é que vovó Maria tinha razão..." Imagina então um sujeito criado lá nos fundões do estado, pertinho do Paraná, com vista privilegiada sobre o rio Paranapanema, que corria descalço com uma varinha nas mãos a equilbrar um pneu vazio (grande diversão daqueles gloriosos anos 60), que soltava pipas de carretilha (lá a gente chama de papagaio), que tinha carrinho de rolemã escondido e que às vezes acreditava em assombração.
Esse sujeito tem tudo para cristalizar para a vida inteira tudo de bom ou de ruim que aprendeu. Sendo filho de imigrantes europeus de segunda geração (italianos por parte de pai e espanhóis por parte de mãe- e podem parar de rir, eu sei que é duro, mas parem), com pitadas exóticas de sangue índio brasileiro e talvez até um nebuloso antepassado cigano, sempre me disseram para nao discriminar as pessoas pela cor, pela raça, pela religião. Mesmo que vovó Maria chamasse a nova empregada de "aquela negrinha nova a qual não me recordo o nome", isso era feito de forma carinhosa, e ela mesma, se auto-corrigia dizendo: todos somos filhos de Deus, fazendo naturalmente o sinal de cruz.
Agora, com toda a estrada que já percorri, com todos os tombos e as reerguidas (que já foram mais ágeis) que a vida me proporcionou, com tantos paradigmas quebrados, preconceitos vencidos, conceitos refeitos, vejo que tenho ainda muito que aprender. 
Acreditando como acreditava que racismo é feio e deve ser banido da face da Terra, tendo ficado feliz pela vitória do Obama nos EUA, não por ele ser meio-negro, e sim por ser mais capacitado intelectualmente que seu adversário (que além de tudo era do lado do Bush-argh), vejo nosso ilustrissimo Presidente-viajante-postulante ao Prêmio Nobel do "Cara Legal do ano" (categoria nova criada a pedidos), desfazer essa certeza. Realmente, "os outros" , aquele povo de olhos azuis é que são os demônios. Não por lhes faltar caráter, por usar jatinhos ás custas dos contribuintes, por ocultarem contas ilegais em bancos no exterior para esconder os frutos de seus roubos, por jogar as próprias filhas de 5 anos do sexto andar dos edifícios, por maltrarem crianças indefesas....nada disso: eles são culpados por genética!
Realmente, vivendo e aprendendo! Quem sou eu para discutir as conclusões de tão brilhante filósofo, aquele que nega e nega e acaba acreditando no que negou?  Para fora esses tipos de olhos azuis, verdes, claros, pele branca demais. Isso, "eles" são os culpados de todas as mazelas e nosso Hitler ao contrário bem que advertiu, e eu que tenho juízo demais, acredito. O problema é que eu acho que sou um dos "outros"...andei olhando no espelho, bem de pertinho e meus olhos, são meio....verdes, com um pouco de boa vontade castanhos bem clarinhos, vá lá!
Por via das dúvidas, lá no interior a gente acredita que suco de jabuticaba escurece a pele e os olhos também. Já encomendei uma muda de árvore de jabuticaba e hoje mesmo, de manhãzinha, fui a feira e comprei dois kilos da mesma. Quem sabe eu consiga deixar de ser um dos outros????
Quem sabe então eu consiga até um jatinho nas custas do contribuinte, uma boquinha para o cunhado folgado, uma assessoria qualquer para o resto da família? Jabuticaba nunca é demais....

2 comentários:

SEXOALACARTE disse...

Bela escolha da fruta, pois jabuticaba é a cor dos meus olhos. Uffa ...tô fora da teoria do Luiz Inácio Viajando Lula da silva. Com o impacto da notícia pensei " O que os dinamarqueses tem a ver com a crise mundial? "
Pensando mais ainda, nunca pensei em Brad Pitt, Nicolas Cage ou Tom Cruise como sendo tão cruéis fazendo com que a marolinha se tornasse numa grande onda oriunda da fata de dinheiro para as grandes produções hollywoodianas.
Então para a solução ser resolvida seria bom talvez meter suco de jaboticaba guela abaixo dos caras de olhos azuis, certamente fornecido pelo "cara legal do ano". E aí o problema da crise financeira associada a beleza estética estaria acabado, pois não haveriam mais culpados. Mas e para os problemas de nosso país ? Qual o suco seria servido para a solução dos nossos problemas, já que todos os politicos daqui parecem terem sido criados com leite de magnésia?
Me responda Sir Fittipaldi.

Beijos

Tadeu disse...

Meu caro amigo e conterrâneo Cezar, depois de ler e passar toda esta madrugada refletindo sobre as benesses "medicinais" da JABUTICABA, fruto este genuinamente brasileiro, pude finalmente entender a grandeza e a profundidade das sabias palavras do nosso presidente, quando atribuiu a culpa da crise internacional a um par de olhos azuis. Estou em dúvida se a brilhante dedução abrangeria também as lentes de contato da mesma cor.
Entendo agora que superar a tal "MAROLINHA", basta dois copos de suco de jabuticaba por dia, o primeiro em jejum, e o segundo ao se deitar com a empregadinha afro-decendente, petisco apreciado pelo sangue português...
MAROLAS a parte, veja que o grande "ESTADISTA", estava na verdade convencendo aos portadores desta desgraça colorida pela ótica lulista de que as JABUTICABAS brasileiras poderiam por fim a visão de culpa da tal crise da MAROLINHA...IMAGINE A NOSSA JABOTICABA SENDO EXPORTADA E CONSUMIDA POR TODOS OS PARES DE OLHOS AZUIS DO MUNDO...marketing perfeito para eleger a dilminha pé de jabuticaba, Presidente da Republiqueta das bananas, ou seria das jabuticabas...