sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

CURTAS E OBSERVAÇÕES SOBRE PALAVRAS DESNECESSÁRIAS



Velho, velho ,velho aquele ditado que diz que em "boca fechada não entra mosca". Entre temporadas, época meio besta onde os pilotos estão inativos e doidos por algum tipo de atividade, aparece um jornalista com um gravadorzinho, começa um papo descontraído e pimba! O fulano falou besteira! Hoje eu li que o Lewis Hamilton andou se gabando de haver "detonado" o Fernando Alonso em seu primeiro ano na categoria, em 2007. Realmente, Hamilton como novato que era, fez um tremendo campeonato e surpreendeu a todos. Mas detonar? Não foi exatamente isso que aconteceu, eles terminaram empatados em pontos e a equipe Mclaren favorecia claramente ao inglês em detrimento do temperamental espanhol. Eu também teria orgulho em andar na frente de um bicampeão mundial em carros semelhantes em minha primeira temporada, mas acho que ficaria saboreando isso de boca fechada. Questão de opinião.
O Kovalainen também andou dando entrevista, dizendo que se tornou um piloto bem melhor após sua passagem de duas temporadas pela equipe Mclaren, e que se sente mais apto, mais preparado do que quando pilotou para a Renault. Òbvio demais, sempre melhoramos, especialmente um "pé de breque" como o finlandês. Ainda bem que blogs não derrubam árvores para serem lidos, pois isso seria um desperdício grande. O nariz grande do Kubica, aliás piloto dos bons e da estirpe de Raikkonen, vai disputar o Rally de Montecarlo este ano. Sempre gostei de pilotos versáteis, como nos velhos tempos em que os astros de Formula 1 corriam de carros turismo, de Formula 2 e tudo o que aparecesse na frente. Quem gosta de acelerar adora um desafio novo!
Parece que a equipe americana de Formula 1 já tem uma data para os primeiros testes de pista para seu misterioso bólido. Eles planejam efetuar as provas numa pista no Alabama, antes de viajar para a Europa e se juntar aos seus pares nos testes preliminares na Espanha. Hummmm, veremos. Em relação a pilotos, Peter Windsor diz que tem a opção de escolher dez bons profissionais disponíveis no mercado, e que a escolha é difícil justamente por isso. Me engana que eu gosto. Se aparecer um zé arruela qualquer com um saco de dólares, ele senta no carro na mesma hora. Pena que eu não consegui ganhar a Mega Sena da virada, pois as conversações estavam em estágio avançado!

2 comentários:

Mauricio disse...

Olá amigo, eu olhei para o seu blog e é uma informação muito completa, saudações e boas-vindas a visita.

brasil disse...

Eu costumava dizer que nós, brasileiros, implicamos com o Hamilton, mais pelo fato de ele ser inglês do que por qualquer outra coisa: o cara é um fenômeno como poucos na categoria; se fosse brasileiro, adoraríamos.

Mas soltar uma merda dessas...parece o Robinho, que se acha o Pelé.

Agora, acho que logo você também vai querer economizar os dedos e para de falar do Kovas também, hehehe. Pior que Trulli e Kovas juntos na Lotus paraguaia, só se Nakajima pai e filho fizessem dupla.