segunda-feira, 13 de julho de 2009

TÓPICOS CURTOS E VISÃO MUITO PESSOAL. PALPITES MESMO.


O final de semana foi pródigo em pequenas coisas acontecendo nas corridas. Vamos juntando os pedacinhos aqui, os caquinhos acolá...e chegamos à algumas conclusões:
- A Brawn prejudicou sim a Barrichello. Mas ele tem que aprender a ser mais inteligente. Já dizia meu velho e sábio pai: "o bom cabrito não berra". Caramba, o cara é um ás no volante e um asno quando vê um microfone por perto. Concentre-se, ajuste o carro para seu estilo ( o Button não é de nada para acertar carros, isso já foi provado) dá uma de Nelsão, faça-se de morto para bater a carteira do coveiro. Agora, a conversa séria tem que ser entre quatro paredes, olhos nos olhos, e nunca pela imprensa.
- Papo furado do Ross Brawn dizer que um piloto que faz apenas a 11ª volta mais rápida da prova jamais teria chances de vence-la. Oras, o Rubens ponteou a prova na primeira fase, e só não passou o Massa porque este usou e abusou do Kers. Parece que a paciência do "boss" com as choraminguelas de Rubens está se esgotando.
- O Webber venceu, mas a mim, pelo menos, não convenceu. Tem o melhor carro, Vettel ainda é bastante irregular em circunstâncias de corrida, e ao jogar o carro sobre o Brawn de Barrichello na largada (e sobre o Mclaren de Hamilton também) mostrou que é do estilo Schumacher de pilotar: sujo demais. Para os poucos que acompanham esse humilde blog, é óbvio que não gosto do canguru papudo, e seu pai também parece ser bastante antipático, com aquele indecente chiclete em sua boca e cara de "cool". Menos, cara pálida. Aliás, o Webber deve ser fã de Nigel Mansell, porque o copiou na escolha de mulher muito feia...
- Gosto do Bourdais, mas parece que realmente seus dias na Formula 1 estão contados. Acho o espanhol (de nome complicado) Alguersuari bastante promissor, mas muito cru ainda para a dura realidade da Formula 1 atual, que não permite testes e é pressão total. Gostaria, por outro lado, de ver um dos meus ídolos, o Sebastian Loeb (pentacampeão mundial de rally) tentando correr na Toro Rosso. Ele ja testou o Red Bull ( também é patrocinado pelas bebidas austríacas) e foi bem rápido.
-O Piquet Jr vai se afundando cada vez mais num mar de desculpas esfarrapadas. E olha que eu malhava o Pedro Paulo Diniz, mas este tinha uma vantagem: nunca dava desculpas furadas para a imprensa. O Piquet passou para a Q3, e depois desligou. Na largada ficou para trás e se arrastou pela tarde infindável de domingo, pensando talvez, no que postaria em seu twitter na semana seguinte. Triste. Se o seu sobrenome fosse outro, talvez já estivesse recebendo o seguro-desemprego.
- O pessoal da GP 2 também fica devendo. Di Grassi alterna boas apresentações com ausências totais. O final de semana na Alemanha foi perdido para ele. Grosjean fez alguns pontinhos, mas quem se destacou mesmo foi o Hulk. Promete esse alemãozinho (mais um??). Os outros brasileiros estão fazendo figuração. Com excessão de Alberto Valério que venceu em Silverstone, o que se destaca mesmo é a enorme capacidade do assessor de imprensa do Luiz Razia em encontrar assunto para seus press releases. Mesmo com o piloto não fazendo nada de nada, ele sempre tem algo a dizer á imprensa, geralmente que aprendeu muito e que está otimista para a próxima etapa. Hummm.
- Na Formula Indy, brasileiros também não estão tendo sorte, e após um bom início de campeontato, Helio Castro Neves parece ter perdido o momentum. Tony Kanaan é uma vítima da crise que se abateu sobre sua equipe, a Andretti-Green e os outros, bem....são os outros.
- A narração de Galvão Bueno alcançou níveis quase impossíveis de cretinice. Desmerecer o título de Kimi Raikkonen é de uma cafagestice atroz. Tentar levantar a bola de Felipe Massa, até vai, porque a Rede Globo investe uma baba nisso e precisa construir um Tótem para peregrinações eletrônicas, a exemplo do que fez com Senna. Rubens está velho, gasto, e atrelou a si a imagem de "segundão" e chorão. Só que Massa, não precisa dessa "ajuda". É um piloto competente em seu próprio direito, portanto Galvão, poupe-nos.
Volto Depois.

2 comentários:

GCHAPACAIS disse...

Entrando no mundo dos blogs motorizados acredito que, infelizmente, Rubinho Barrichello vai ter de se esforçar muito mais daqui pra frente para poder conquistar a 100ª vitória brasileira na categoria, visto que Ross Brawn tomou como preferido seu compatriota, algo que ainda não foi oficializado e provavelmente nem será. Já foi visto em algumas corridas (com exceção da Inglaterra) o jogo da equipe Brawn GP. Espero que eu esteja enganado, mas tudo indica que teremos isto mesmo. Um abraço.

Paula disse...

O Galvão é sempre a mesma desgraça ehehe...enfim