quinta-feira, 13 de agosto de 2009

O BOM CABRITO NÃO BERRA!

























Como bom interiorano que sou, lá das bandas de Ourinhos, nas barrancas do rio Paranapanema, sempre ouvi dos mais velhos: "o bom cabrito não berra". Ouvia muito também: "não adianta chorar sobre leite derramado". Em entrevista á última edição da revista Autosport inglesa, Nelsinho Piquet continua na sua cantilena de sempre, desacreditar seu ex-chefe de equipe Flávio Briatore. Que Briatore é um tremendo mau-caráter todos hão de concordar, talvez com a honrosa excessão de Fernando Alonso, mas dizer que o cara não entende nada de Formula 1 é forçar um pouco a barra. Quando chegou ao circo da Formula 1 nos anos 80, via um cargo que detinha na empresa Benetton dos Estados Unidos, realmente Briatore não sabia nada sobre corridas. Mesmo assim, obteve um enorme sucesso como chefe de equipe, ora conquistando bons acordos comerciais de patrocinios, ora "descobrindo" talentos para conduzir seus bólidos. Foi assim com Schumacher, Verstappen, Herbert, o próprio Piquet pai, louco para sair fora da fria que havia se metido ao assinar com a equipe Lotus, Trulli, Fisichella, Alonso e outros. Alguns pilotos que foram assinados pelo italiano não vingaram, mas suas duas principais apostas, Schumacher e Alonso foram êxitos espetaculares. Se ele não entende nada de Formula 1, eu queria não entender uma fração do nada que ele entende.
Quanto a Nelsinho, lá do interior tem mais uma: "em boca fechada não entra mosca".... É isso aí, ou é osso aí!

4 comentários:

Ron Groo disse...

Meus pais são interioranos também, são da divisa de São Paulo com Minas e eles vivem dizendo que o cabrito que não berra é burro. Porque sabe que vai morrer e nem reclama.

Acho válido a chiadeira de Nelsinho, junto ao que andou dizendo o Di Grassi dá para ter um bom parametro do que é este Flavio Briattore.

Cezar Fittipaldi disse...

FAz sentido claro. Mas eu mantenho a minha opinião que ele teve 28 corridas para dizer dentro da pista a que veio, dar seu recado de maneira inconteste. Agora que "Inês é morta" não adianta. Além de chorão, é deselegante. E quanto ao Di Grassi, também não o vejo chegando muito longe, perdendo para os Grosjean e Hulkenbergs da vida (bons, mas com muito menor experiencia). E viva Emerson, E viva Nelsão, E viva Senna!

Bruno Santos disse...

Pelo menos uma coisa é certa, mesmo repetindo todo esse choro desde a demissão, Nelsinho tem se mantido na mídia. Agora é encontrar um lugar para o próximo ano, e ver o que acontece.

Ron Groo disse...

Tá certo, eu concordo que o tempo de berrar passou mesmo, mas...

Viva Nelsão! Viva Senna e Viva Emerson!