quarta-feira, 6 de outubro de 2010

CURTAS: EM BOCA FECHADA NÃO ENTRA MOSQUITO

De volta a Bertioga, após cerca de quarenta dias em Ourinhos, recuperando-me de minha cirurgia. O batente me espera e nem sei direito por onde começar. De qualquer maneira há que se registrar algumas coisas:

- Eleições: Fiquei muitíssimo satisfeito com o segundo turno. Destesto abertamente o atual governo, seu mandatário-mor, seus métodos truculentos e anti-democráticos, o uso da máquina para eleger uma mulher que envergonha a classe feminina (adoraria ter uma mulher como presidente de nosso país, mas uma que realmente simbolizasse todas  as qualidade inerentes ao sexo feminino, e não apenas uma coleção dos piores defeitos). O povo de São Paulo tão duramente criticado por eleger Tiririca (vade retro) demonstrou ao eleger Geraldo Alckmin no primeiro turno, mais do que um apreço pelos sucessivos governos tucanos (cheios de qualidades e defeitos — malditos pedágios!), uma repulsa pelas mentiras petistas. Quanto ao "salto-alto" Netinho, a sua não eleição, após os Institutos de Pesquisas lhe darem a dianteira sempre, foi ótima, pois nenhum Estado do mundo merece ter dois Suplicys-imbecis e mais um cantor de pagode meia boca como seus representantes no Senado! O Eduardo Suplicy, tão amigo dos "direitos humanos", defensor dos sequestradores e bandidos, vai ter a companhia de sua ex Marta, aquela prepotente ex-ministra do "relaxa e goza", ambos da tropa de choque do Lula. Credo. Mas poderia ficar pior, como disse o Tiririca, se o Netinho tivesse sido eleito. O Aloysio Nunes pelo menos é capacitado e tem experiência parlamentar ampla.
- A morte de Peter War, lendário ex-chefe de equipe da Lotus, da  Fittipaldi e depois da Lotus novamente. Tive a oportunidade de conversar pessoalmente com ele uma ou duas vezes, e o admirava profissionalmente.
-Massa. Após ter sido obrigado a ceder a posição de liderança para seu companheiro  na equipe Ferrari no último Grande Prêmio da Alemanha, e ver este disparar na disputa pelo título mundial, o coadjvante Massa disse numa entrevista a uma revista alemã que não será um "novo Barrichello" na Ferrari. Além de deselegante, ao falar com tamanha falta de ética de um companheiro de profissão, na prática ele talvez seja até pior, pois Barrichello entrou numa Ferrari que era Schumacher Racing Team menos no nome, uma vez que já estava lá há tempos, já era bi campeão, etc. Massa está há muito mais tempo na Ferrari que Alonso, que apesar de bi-campeão foi recebido na Mclaren de forma muito diferente, por um jovem tímido, sem experiência, Lewis Hamilton, que mostrou ao talentoso e arrogante espanhol com quantos paus se faz uma canoa. Mal para Massa. Em boca calada, mosquito não entra...

Um comentário:

Rui Amaral Lemos Jr disse...

Não sabia da morte de Peter.
Qto ao pagodeiro que ao que parece gostar de dar uns tapas em mulher concordo com vc, aliás a respeito dos dois outros senadores tambem.
O Massa bem...

Abs

Rui