sábado, 31 de julho de 2010

MAGIARES, OU O DIA EM QUE O TELESCÓPIO HUBBLE SE FEZ NECESSÁRIO


E as Red Bull sobraram e sobraram na pista de Budapest hoje. Vettel meteu um "temporal" na concorrência e foi beber energético. Webber veio logo a seguir e depois, as Ferrari com o primeiro piloto Alonso na frente e o "não sou segundo piloto" Massa atrás. E depois, veio o resto. Hamilton salvando a honra da Mclaren, arranhada por Button que sequer foi ao C3. Rosberguinho metendo o seu "Hubble" particular no velhote Schumacão que tampouco foi ao último treino. Petrov na frente de Kubica, De la Rosa à frente do japa-san e Hulk, verde e crescendo na frente de um Barrica meio perdido. É isso. Na GP2 um baita acidente e nada demais. Mañana tem mais. Volto mais tarde com digressões. Enquanto isso, e para quem gosta de ler ótimos textos em blogs bem bacanas, um baita perfil do Speeder sobre um dos meus pilotos favoritos, Patrick Depailler (em seis capítulos, o Paulo gosta de escrever a lá Reinaldo Azevedo!) e um ótimo artigo escrito pelo mestre Ricardo Ashcar sobre o episódio Alonso/Massa no blog do mestre Joca. Links:

Um comentário:

brasil disse...

O blog do mestre joca é bom, não conhecia.

O que a Red Bull fez hoje foi assustador. Acho que nem o bom ritmo de corrida da Ferrari que, polêmicas à parte, foi alucinante na Alemanha, consegue fazer cócegas. A não ser que Alonso ganhe posições na largada, passar em Hungaroring é quase impossível, e nem a Red Bull faz milagres.

Reinaldo Azevedo? Alguém leva esse homem a sério?