terça-feira, 8 de dezembro de 2009

O DIREITO DE OPINIÃO E AS RESPONSABILIDADES DELE


É interessante o poder dos blogs. Todos podemos escrever o que bem entendemos, sem nos lixarmos para um mínimo de coerência sequer. Posso afirmar por exemplo, que vi um disco voador, ou a nova chegada do Messias, ou mesmo que Lula é honesto. Mesmo se contestado, com a parca audiência de meu humilde espaço, as repercussões serão insignificantes
Leio diariamente o blog do Flavio Gomes, que tem um texto primoroso. Quase sempre discordo de suas opiniões não-automobilísticas. Costumava escrever nos comentários, mas parei. Quando ele escreve sobre corridas, carros antigos e coisas assim, dá gosto ler. Quando escreve sobre outros assuntos, política e futebol, eu discordo. É um direito meu. O problema é que o rapaz tem um temperamento meio raivoso, não aceita críticas que os leitores fazem, ou ponderações em contrário. Direito dele, claro. O duro é que ele é incoerente. Hoje ataca os governos do Estado e da cidade de São Paulo. Manda bala. Eu não sou advogado do Serra e muito menos do Kassab, haja vista que nunca morei em São Paulo, capital. Concordo com muito do que escreveu. O duro é que ele usa dois pesos e duas medidas, e não me lembro de ter lido algo a respeito do mensalão petista, uma única linha. Que os Arrudas da vida apodreçam nas prisões e suas almas penem no inferno por toda a eternidade. Agora, que os petistas também paguem e sejam igualmente criticados. Os problemas de São Paulo, mesmo eu não sendo um especialista, existem há muito tempo e boa parte da responsabilidade é da população mal-educada que joga lixo em qualquer lugar. Que os governantes têm responsabilidade, é óbvio. Agora, quando nas mãos do PT, o que houve foi um aparelhamento terrível, assim como hoje acontece nas estatais e nos (inúteis) ministérios e secretarias criados à mancheia pela besta barbuda. Repito, se em meu humilde espaço eu escrever uma barbaridade qualquer, vai gerar no máximo uns quatro ou cinco comentários. Nada. Mas um jornalista com a audiência do Flávio Gomes, precisa ter mais coerência. Ou não.

6 comentários:

Tortugo disse...

Olá, Cezar

Também leio diariamente o blog do Flavio Gomes. Mas o faço apenas porque o seu (dele) blog é uma espécie de "polarizador" do assunto automobilismo e por lá acabo encontrando links e links muito interessantes acerca do assunto. Mas ele é muito chato! Um pé no saco, francamente. Há muito parei de ler suas opiniões e aqueles insuportáveis posts onde enaltece os produtos soviéticos e os dois tempos. ARGH!!!!
Mas graças ao blog dele que descobri o Saloma, o Joca, etc.

Já este blog aqui, fiquei sabendo através de você mesmo, quando foi participante do Buteco Racing, lembra? Pois então, esperamos outras participações tuas na temporada vindoura, que se não for um primor em termos de corridas, pelo menos promete um montão de notícias, sejam boas, más, surpreendentes, bolas cantadas, engraçadas ou tristes, tudo por conta da "nova F1".
Está (re)feito o convite.

Um abraço.

Daniel

Rui Amaral Lemos Jr disse...

É Cezar como diz um grande amigo ,"de tanto falar tem gente que dá bom dia a burro",acompanho sómente os blogs que estão entre os meus favoritos e isso me basta.Quanto a modestia audiencia fique certo que as pessoas que nos seguem (sem nenhuma alavancagem artificial)não pensam assim , sabem que é p/ elas que escrevemos e dai que vem os comentários sinceros .Desculpe escrever no plural mas é assim que sinto.
Abs
PS.Zéarruela coisa nebhuma.

Rui Amaral Lemos Jr disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Luiz disse...

Cezar,
tanto quanto você, admito muito os textos do FG. Tanto quanto você, tanbém o considero um "pé no saco" com relação às preferências soviéticas e cubanas (ainda me referindo a assuntos automobilísticos).

Portanto, assino embaixo de seu post.

Mas, o pior de tudo, é a forma descortês com que ele trata quem envia um comentário contrário às suas posições, utilizando, inclusive termos chulos e incompatíveis com o tipo de relacionamento que um blog proporciona.

Abs.,
Luiz Guimarães

FRITZ JORDAN disse...

Acho que o Flavio faz o tipo comuna so para se proteger do patrulhamento a que esta sujeito em seu meio profissional. Nao fosse assim, estaria mais concentrado em transportes coletivos (onibus, trens, etc) do que nos carros, que simbolizam o capitalismo.

Quanto ao seu blog, Cezar, todo dia faco uma visitinha. Voce ja deve ter percebido.

Alysson Prado "Balo" disse...

Gente , isso é coisa de jornalista, são comunas em algumas situações, mas não partilham desse mesmo comunismo quando o assunto é dá ao outro poder de voz, aí virão uma espécie de ser superior e que os outros, bem..os outros são os outros, não falo do FG que poucas vezes visito o seu blog, mas como estudante de comunicação social, onde a sala fica dividida maginariamente entre o curso de jornalismo e os 'outros',(aqui na Federal de Sergipe, o curso de comunicação se divide em Radialismo, Jornalismo, Publicidade e Propaganda e Audiovisual), mesmo com o diploma tendo perdido o valor, alguns jornalistas não perderam a pose e ainda continuam invadindo outras áreas sem querer que pessoas de outras invadam a sua.

Abs.