quarta-feira, 30 de novembro de 2011

CURTAS PÓS CORRIDA NO BRASIL

A besta boquirrota: elogia o automobilismo brasileiro em meio ao deserto de renovação que vivemos, corrupção, etc.

Bom, fim de festa, circo desmontado e rumando para a Europa (a velha e combalida Europa de nossos antepassados) e algumas conclusões a que chegamos: o ano foi bom, mas teria sido bem melhor se não fosse pelo Adrian Newey e pelo Seb Vettel.....Eles estavam um pescoço ou dois à frente dos outros cavalos da tropa, então a luta real foi pelo segundo lugar nas corridas e no campeonato.
Button fez jus ao título de vice-campeão e pilotou melhor mesmo que no ano de seu título, 2009. Alonso foi....Alonso. Frio, calculista, cerebral, egoísta e muito acima da média. Com um carro no máximo mediano conseguiu dez podiuns, com uma vitória inclusive, colocando seu companheiro Felipe Massa numa situação para lá de desconfortável.
Mas não vou ficar fazendo análise do campeonato aqui neste post. Deixo isso para um próximo e mais extenso. Aqui quero falar de coisas curtas.
Ontem vi o ultimo programa Linha de Chegada do ano, que normalmente é ótimo, apresentado pelo Reginaldo Leme. Mas ontem, bem ontem, estava lá o Galvão Bueno. Cada vez mais irritante, interrompia o coitado do Burti a todo momento, elogiou seus dois filhos a não mais querer e falou abobrinhas pelos cotovelos. Caspita! E não adiantou a sempre elegante presença do Lito Cavalcanti, os socorros suplicantes do Reginaldo, a presença bonita da Mariana Becker. O Galvão estava embuído de seu pior espírito-de-porco para estragar o programa. Uma pena.
A vinda de uma etapa do Campeonato de Endurance com os protótipos de Le Mans para o Brasil, anunciado pelo Emerson Fittipaldi é uma notícia e tanto. E depois também quero falar sobre os novos pilotos do Brasil, tema que foi abordado no programa acima referido. O Galvão está tão gagá que disse textualmente: " o automobilismo brasileiro está num ótimo momento, talvez o melhor se sua história"...... reflitam e vejam se eu não tenho razão"


4 comentários:

Marcos Masiero disse...

Pessoal, o Galvão é o culpado por eu não gostar do Senna. Não suportava a babação de ovo que ele fazia e não suporto até hoje... A F1 está acabando para o Brasil e o cara não acaba com suas bravatas...
Abraço a todos.

Rui Amaral Jr disse...

Não consigo ouvir o Idi Amin Dadá nem um minuto...ele não é gagá é apenas safado!

Um abraço

Ron Groo disse...

Tem razão sim. E muita.

Edison Guerra disse...

Assisti ao programa,e senti o Reginaldo muito subserviente,pois o velho gagá interrompeu o quanto quis,com suas conclusões p´ra- lá de senis.