domingo, 7 de agosto de 2011

CORRIDA DO MILHÃO NA STOCK: MITOS E VERDADES

A iniciativa dos promotores da Stock Car e da Rede Globo em organizar uma corrida da categoria com uma premiação milionária é bastante interessante em termos de marketing, e seus idealizadores já devem estar contabilizando os resultados em termos de exposição na mídia e seu  consequente retorno. A vinda de um ex-campeão mundial de Formula 1 também seria uma magistral jogada publicitária, se o mesmo, talvez, e vejam bem, estou escrevendo, talvez, não fosse o Jaques Villeneuve. Por que? Porque nos últimos anos Mr. Villanova vem se comportando de maneira estranha e errática. Ora é o Mr. Simpatia, ora é o Senhor Boquirroto. Tem gente que gosta do jeitão largado dele,e eu confesso que também fui fã do canadense. Mas depois de um certo tempo, tendo conhecido tipos assim, fico na dúvida do quanto há de autêntico em sua personalidade e em seu comportamento. Além disso, nos últimos anos ele tem sido bastante conhecido como "arroz de festa", tendo disputado corridas de carrinho de rolimã no Afeganistão, uma prova de trenó na Jamaica, Kart no Congo, ou foi no Líbano?, não foi na Líbia, mas lá foi corrida de tanques de guerra. 
Enfim: o cara com essas participações avulsa, de uma certa forma mancha seu currículo de campeão mundial de Formula 1 e de vencedor das 500 Milhas de Indianapolis — tirando o fato que suas últimas cinco ou seis temporadas na categoria máxima foram nada auspiciosas. De qualquer maneira, parece que ele chegou "chegando" e após obter um sexto tempo na quarta feira, disse que seria "fácil". Bem feito, vai largar em vigésimo sétimo lugar (que carma este número 27!), e para vencer tem que ter uma atuação mítica além de torcer por chuva, inundação cósmica e disenteria coletiva nos competidores que largam a sua frente; improvável, eu diria!
De resto, a Rede Globo vai botar o babão do Galvão para narrar, e babar mais ainda por seus pimpolhos, que apesar de serem meninos-mimados, pilotam bem. Se eu acordar disposto, vou assistir, e não sou lá tão fã das artificialidades da Stock, mas o espetáculo, com tanta grana em jogo, pode ser bom. Esperem disputas malucas, batidas e rodadas de montão.

4 comentários:

Joel Marcos Cesetti disse...

É...Concordo plenamente com você.
E também acho que ele nem termina a prova.Duro mesmo é aguentar o Galvão com as suas idiotices.

Zé Clemente disse...

Concordo em parte. É dificil saber quais as reais intenções dele e qual o grau de antenticidade no que ele fala e faz. Mas eu apostaria numa coisa que ele deve estar fazendo e que todos nós gostaríamos - viajar. Conhecer mais lugares, mais pessoas, mais ambientes. Não acho que ele tenha vindo com a intenção de ganhar e acho que o marketing da categoria nesse evento, embora justificácel, peca num ponto que considero importante. Não há dúvida de que ele não tem o melhor carro, que não tem o foguete, porque isso interferiria na corrida e no campeonato de forma significativa. E isso no meu entender não é compatível com ele como piloto. Ganhar campeonato de Indy, 500 e F1, convenhamos não é para poucos. Em que pese tudo isso, atrás da imgem dele e declarações, vai sim um evidente marketing. Isso não se pode negar.

Carlos de Paula disse...

E isso ai Cesar, senta a pua. Ta na hora do Jacquot pegar seu violao e voltar pro Canada.

Rui Amaral Jr disse...

Gostei do comentário do Zé, acredito que ele tenha vindo para se divertir sabendo que não teria equipamento para brigar pela ponta. Ao menos para ele é válido, quem não gosta de acelerar uma barata mesmo de vez em quando!?