sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

CURTAS


































Então tá: após um longo e tenebroso inverno, onde coisas importantes, e coisas pouco importantes aconteceram, volto. Sutilmente, sorrateiramente, mas com a certeza de que aqui é meu lugar. O que estou dizendo, divagando? Oras, amigos, não se assustem. Não endoidei não. Tenho lido muito (aqui e alhures) sobre todos os acontecimentos que nos afetam de uma forma ou outra. E paradoxalmente, ligadasso no que ocorre, sinto às vezes a não necessidade de falar, ou melhor, escrever sobre. Parece que tudo o que era importante já havia sido dito ou escrito. Então fiquei quietinho em meu canto virtual, matutando, refletindo, pensando com os meus botões. Pretendo dar uma boa reformada no blog, no formato e no conteúdo. Deixei algumas coisas inacabadas lá por trás, como a minha trajetória como piloto na Inglaterra (já até expliquei que não queria fazer um blog autobiográfico e sim opinativo). Vou concluir aquela longa corrida no céu e finalmente colocar no ar, algumas entrevistas que andei fazendo.
A temporada de Formula 1 está prestes a se iniciar (apesar das dúvidas que pairam sobre a prova de abertura, no Bahrain, por conta da instabilidade política recente por aqueles lados) e eu nem analisei os novos carros ainda. Decidi esperar um pouco mais. Kubica está fora do mundial, o que é uma pena, pois o polaco vinha fazendo um trabalho mais que decente com a equipe ex-Renault (devemos chamá-la realmente de Lotus?); temos as incógnitas de sempre, poucos novos pilotos. Tivemos a despedida dos campos do Ronaldo, as recentes declarações de Pelé (endossadas por mim, aliás) de que passaremos vexame com a organização da Copa do Mundo de 2014 ( onde todos os prazos estão vencidos e os corruptos de sempre estão à postos e alertas). Temos assuntos para mais de metro, aliás. Aos poucos.

3 comentários:

Rui Amaral Jr disse...

Aos poucos e eu aqui te acompanhando!

Um abraço

Rui

Cezar Fittipaldi disse...

Obrigado pela força amigo Rui. Por amigos como você é que a gente continua. Porque a vida é cheia de histórias e vale a pena contá-las e revivê-las um pouquinho.
Abração.

Ron Groo disse...

O Pelé só fez a conclusão emergente do óbvio. Estou falando isto desde que nos candidatamos.