segunda-feira, 2 de novembro de 2009

CURTAS PÓS TEMPORADA




-A Bridgestone anunciou que vai deixar de fornecer pneus para as equipes de Formula 1 a partir do final de temporada de 2010. Imagino que os custos e a imensa logística de fornecer pneus a tantas equipes durante o ano todo, as viagens intercontinentais e tudo o mais sejam amplamente recompensados pelo retorno midiático, com todos os carros levando o nome da empresa, os bonés dos pilotos, etc. Mas eu até gostava mais quando havia disputa entre duas ou mais empresas de borracha, porque adicionava um elemento a mais às muitas variáveis já existentes.
-Barrichello finalmente confirmado oficialmente na equipe Williams. Pode ser uma boa, pelo menos é o que todos os envolvidos desejam: o próprio piloto, a equipe, patrocinadores e a imensa legião de fãs do piloto, não só no Brasil, mas em outras partes também. O segundo piloto será o muito promissor alemão Nico Hulkenberg (mais um teutônico?), campeão antecipado da GP2 este ano, com antecedência. Se o motor Cosworth for o que todos imaginam, ou seja, muito bom, Rubens poderá ser um sério contendor ao título da temporada
-O mesmo Barrichello revelou que foi procurado pela equipe Mclaren durante o final de semana do GP do Brasil, mas que há aquela altura já estava acertado com a Williams. Será mais um dos muitos atalhos não-trilhados por pilotos e equipes na longa história da Formula 1, portanto ficaremos sempre na curiosidade do "que teria sido?".
-Dica do amigo Fritz Jordan em post no artigo anterior, conforme matéria da revista inglesa "Autosport", Kamui Kobayashi esteve a ponto de abandonar o automobilismo e voltar a fazer sushi no restaurante de seu pai no Japão. Mais uma daquelas improbabilidades do destino. Quis a sorte que Timo Glock se acidentasse, e o resto é história. Esse aí, KK, soube agarrar a chance com ambas as mãos.

Um comentário:

brasil disse...

O histórico recente do Cosworth não não é muito animador não, ou estou enganado? Bom, das que andarão com esses motores, certamente a Williams é a melhor opção de longe.
Título eu acho demais pro Rubinho, mas certamente um fim de carreira honroso ele terá.
Sobre o Kobayashi, fica a expectativa dele se tornar o primeiro japonês que saiba andar de F1 na história (porque o Sato - maior pontuador japonês - era apenas de comum pra ruim). O começo dele é animador.