quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

UM DAVI CONTRA MUITOS GOLIAS!

Entrevista com Cesar Ferro, piloto do fusca speed nas 500 milhas de Londrina

Cesar Ferro, ou "Cesar Speed": o David que encara os gigantes!


Desde que me conheço por gente, não posso evitar, gosto dos pequenos que não têm medo de encarar os gigantes. Não por acaso, um de meus livros de cabeceira é “Dom Quixote”. Sempre torci pela Osella, pela Minardi, pelas Conews e Trojans da vida. Quem tem mais que quatro décadas de vida há de se lembrar das pequenas e valentes equipes que fizeram parte da Formula 1. Pensar que a francesa AGS tinha apenas oito (8!) pessoas no seu staff e ainda assim conseguiram pontuar (com o glorioso Roberto Pupo Moreno, outro David que enfrentou e derrubou muitos, muitos Golias!). Além dos muitos pontos de exclamação até aqui, o que quero mesmo ressaltar é minha incontida admiração por esses valentes, que mesmo sabendo de suas escassas chances de êxito, não desanimam e desafiam as probabilidades contrárias. Talvez isso seja mesmo alguma metáfora de vida, onde os obstáculos às vezes nos fazem desanimar, de tão grandes, mas podem e devem ser encarados. O sucesso também é relativo e, enquanto alguns “experts” brasileiros consideram as carreiras de pilotos como Rubinho Barrichello e Felipe Massa fracassos, e eu certamente não estou entre esses, só o fato de um piloto se qualificar para pilotar um Formula 1 é visto por muitos como um grande feito (eu estou entre esses).
De qualquer maneira, uma das matérias mais preciosas em minha memória é uma reportagem da revista “Placar” se eu não me engano, do Jader de Oliveira, cobrindo as “24 horas de Le Mans”, ano provável de 1973, que retrata um piloto francês, amador ao extremo, que com muito sacrifício adquiriu um velho carro Porsche e, com a ajuda de amigos, participou da edição daquele ano da mítica prova, um sonho que acalentava desde a infância! Ler aquilo aos 13 anos de idade causou profunda impressão em mim, parecia uma premonição. Eu que sempre desejei ser não apenas piloto, mas quiçá um campeão mundial, fui aprender com o tempo que as coisas não são assim tão simples. Mas essa é outra história. História boa mesmo, tem o Cesar Ferro, piloto da simpática Londrina, que competiu com um singelo Fusca da categoria speed nas 500 Milhas de Londrina, contra protótipos potentes, Maseratis, um Cobalt com 600 cavalos de potència e até uma Ferrari!

O valente fusquinha da categoria speed ao lado do protótipo spyder com Beto Borghesi ao volante

Pela primeira vez fui assistir “in loco” e, confesso, adorei. A organização fica a cargo do competente trio formado por Beto Borghesi, Aloysio Moreira e Daniel Procópio. Devo também agradecer ao Vitor Garcia pela gentileza em nos ceder as credenciais de boxes. Dentre todos os bólidos presentes, o que mais me chamou a atenção, como não poderia deixar de ser foi o humilde e valente fusca. Procurei me informar um pouco sobre o carro e seus pilotos e acabei fazendo amizade (virtual por enquanto) com o simpático xará, Cesar Ferro. Abaixo um pouquinho de sua história:

Fittipaldionline: Fale um pouco sobre você, uma minibiografia!

Cesar Ferro -  Sou casado, há 24 anos com Roselene M.Ferro, que sempre me apoiou, tenho 3 filhos, Matheus, Isabella e Pedro e por incrível que pareça minha mãe de 72 anos apoia e estava lá nas 500 milhas, D.Dirce Bernini Ferro. Sou representante comercial há 30 anos no ramo farmacêutico, tenho 50 anos de idade.
O fusca em ação. Foto de Marcus Vinicius.

Fittipaldionline: Quando e como começou a se interessar por corridas de carro?

Cesar Ferro -Desde muito novinho, sempre adorei carros, e todos carros do meu pai que ele comprava eu queria ver o quanto corria, fazia corridas com meus carrinhos, enfim, acho que brotou daí este gosto, com 15 anos comecei a frequentar a pista oval de terra que tinha aqui em Londrina ,corridas de Hot Dodge, era o máximo e me via sentado naqueles foguetes,  com 18 já trabalhando desde os 14,comprei uma motoca, mas queria um carro, meus pais me ajudaram, comprei logo um maverick v 8 que só andava nos fim de semanas, pois tinha que ir trabalhar de ônibus pra ter gasolina pros rachas na via expressa, mudei para um opala 250S, e continuei a fazer rachas. Em 1992, com a inauguração do autódromo, comecei a alimentar o Csonho de criança, vi grandes corridas, Copa Fiat, formula3, formula Ford, Stock Car, Copa Corsa, Paranaense de velocidade e  a vontade só aumentando. Em 1994 me mudei pro berço das corridas de carro no Paraná, fui morar em Cascavel. Morei por 5 anos e voltei pra Londrina no final de 1999, com idéia fixa :vou comprar um Speed Fusca ,fui ver o preço, nao dava, mas o Ernesto "Gardenal"Pivaro, me fez entrar neste vicio, me vendeu em 10 vezes o   Speed e ai começou tudo!

Fittipaldionline: Fale um pouco de sua relação com a prova “500 Milhas de Londrina”.

Cesar Ferro -Corri a primeira vez em 2001 ,me apaixonei pela prova, corrida diferente das curtas, usa-se cabeça, estratégias são mudadas a todo instante, equipe corre com você dentro do carro, enfim, esta é a prova!  Para 2018 ,já estamos projetando, falei pro meu parceiro: vamos fazer UBER juntos...kkkkkk lembrando que esta foi a minha quarta participação ,meu parceiro estreou e também foi picado pela prova longa.

Fittipaldionline: A sua participação foi marcante e heroica. De pessoas como você é que se faz automobilismo de verdade. Que tipos de conselhos você daria a alguém que não tem muitos recursos, mas mesmo assim, quer correr?

Cesar Ferro - Confesso que estávamos ansiosos e preocupados, sem dinheiro, fui pro UBER ,7 meses trabalhando a noite e fim de semanas, amigos cotizaram em grupos de whatss up, levantando um grana pra nos passar, nosso carro precisava revisar, fizemos meia revisão, carro estava feio com alguns amassados de corridas anteriores, mas teve que ir remendado, se arruma não tinha verba pra fazer as 500, conseguimos um bom patrocínio com empresa Oral Sin Implantes dentários, mas faltava ainda, mas tínhamos apoio da família e amigos e tínhamos tudo contra também, mas no final estávamos no grid ao lado de Ferrari, Masseratis, Protótipos rápidos, Cobalt V8,na volta de apresentação eu GRITAVA DENTRO DO CAPACETE " TO AQUI PORRAAA,EU ACREDITEI,CA........."Digo, quem quer correr e não tem condição, sei que não é fácil a começar pela vestimenta, capacete, comprar ou alugar um carro, treinar, fazer sua carteira, enfim eu sabia disto, mas comecei correndo com capacete de moto, macacão de kart, carro comprado em 10 prestações, nunca treinava, não tinha grana, guardava pras corridas, tenha o principal, vontade, foco e muita coragem, pois você pode não ter apoio de família e tudo joga contra você, mas seu sonho é só seu, vá atrás ,dele e seja feliz, não levamos nada desta vida, viva hoje.

Fittipaldionline: Quais são seus hobbies?

Cesar Ferro-  Não tenho hobbies, mas sou uma pessoa que adora esportes, sou karateca ,faço treino funcional, adoro estar com minha família ,vida regrada, sem muitas badalações.

Fittipaldionline: Quais são seus planos em automobilismo?

Cesar Ferro-Planos são poucos, queremos correr o metropolitano, porém, logo de cara, teremos que gastar uns 6 mil na máquina e queremos correr as 500 milhas.

Fittipaldionline: Já teve, e se sim, quais foram ou são seus ídolos em automobilismo ?

Cesar Ferro-NELSON PIQUET!

Fittipaldionline: Fique a vontade para acrescentar algo que julgue relevante

Cesar Ferro- Quero só agradecer, pois to me sentindo importante kkkkkkkkkkkk só quem nos conhece e fundo, sabe o que fizemos pra correr e vamos ter que continuar a fazer..... muito feliz e lisonjeado em ter feito esta entrevista com você e  uma nova amizade no automobilismo que ganho, grande abraço !!
OBS: MEU PARCEIRO ,MEU AMIGO,MEU IRMAO MARCELO RAMPAZZO,FALEI POUCO DELE,MAS
 ELE TOCOU MUITO BEM,SOU GRATO POR ELE SER MEU PARCEIRO!!




5 comentários:

Ron Groo disse...

Belíssimo trabalho, confrade.

Cezar Fittipaldi disse...

Muito grato, meu caro. Vindo de você é um baita elogio!

Rui Amaral Lemos Junior disse...

Muito bom, o ídolo dele começou assim. O Miguel Beux me convidou e ao Arturão mas não podemos ir, perdemos! Um abraço Cesar & Cezare!

Cezar Fittipaldi disse...

Grande Rui! Lembrei-me de você ao ver o speed valente na pista. Lembrei-me dos saudosos Divisão 3 e também da sua generosidade em seu próprio blog, sempre abrindo espaço para os amigos. Abração!

Marcelo Fernandes disse...

Que exemplo de perseverança !!! Parabéns Cesar Ferro, vc é um campeão.